Troca de bateria deve afetar 519 milhões de iPhones, diz estudo

0
126

O programa de troca de baterias de iPhones feito pela Apple deve atingir 519 milhões de celulares. A estimativa é de uma análise feita pela Barclays. O banco de investimentos britânico calcula que a iniciativa deve reduzir as vendas de aparelhos novos, causando uma perdas nas vendas.

A possibilidade de troca com desconto foi oferecida após a empresa admitir que há redução de velocidade nos aparelhos antigos.

A Apple começou no início desta semana um programa de substituição das baterias de iPhones 6, 6S, SE e 7 com preço reduzido. No Brasil, o valor foi de 449 reais para 149 reais (de 79 dólares para 29 dólares nos Estados Unidos). A medida é uma tentativa de contornar a redução no desempenho do aparelho conforme a bateria envelhece, uma funcionalidade implantada pela própria Apple.

Segundo a análise da Barclays, os modelos afetados correspondem a cerca de 77% dos smartphones da empresa que estão nas mãos dos consumidores. O estudo estima que quase um décimo deles (54 milhões) devem aderir ao programa e trocar as baterias. Com o reparo, mais usuários devem postergar a troca do smartphone, causando uma redução de vendas de novos aparelhos em 16 milhões (4% do total).

A perda de receita seria de 10 bilhões de dólares (32,3 bilhões de reais), mesmo após ganhos de 1,56 bilhões de dólares (5,0 bilhões de reais) com as trocas dos componentes antigos.

O caso veio à tona em dezembro após usuários fazerem testes com os aparelhos e motivou ações judiciais nos Estados Unidos e uma notificação do Procon no Brasil.

De acordo com a empresa, a redução na velocidade de funcionamento é necessária para evitar que o aparelho desligue abruptamente, pois as baterias vão perdendo potência com o passar do tempo. Essa programação não havia sido revelada aos usuários, o que motivou críticas em relação à transparência da empresa.

Procurada por VEJA, a Apple disse que não se manifestaria a respeito do impacto que a troca de bateria traria para suas vendas.

Fonte: Veja.Com

Comentários

comentários