Travesti é espancada até a morte após ter casa invadida em Manaus

0
390

 

Crime ocorreu no bairro Japiim I, na Zona Sul de Manaus (Foto: Adneison Severiano/G1 AM)

Uma travesti foi espancada até a morte na madrugada desta sexta-feira (23), na comunidade Santa Luzia, no bairro Japiim I, na Zona Sul de Manaus. O corpo da vítima foi encontrado por vizinhos em um beco. Uma disputa judicial por herança é uma das suspeitas de motivação do crime. Um grupo de pessoas foi visto fugindo do local.

De acordo com o aspirante Tasso, da 3° Companhia Interativa Comunitária (Cicom), o corpo da vítima foi achado caído no beco da Paz, por volta das 3h30. Os moradores acionaram a Polícia Militar.

A vítima pode ter sido assassinada, por volta das 2h30. A travesti foi agredida com pedaço de madeira. A cabeça foi área do corpo mais atingida.

“A travesti foi morta em frente casa dela na comunidade Santa Luzia. Nessas situações ninguém sabe, ninguém viu o que aconteceu. O vizinho disse não ter visto nada. Porém, do jeito que parece que aconteceu deve ter feito muito barulho, mas ninguém quis passar informações”, informou o aspirante.

A porta da casa da vítima foi arrombada e a travesti foi arrastada para rua, onde foi brutalmente assassinada. A violência das agressões causou traumatismo crânio facial.

Um morador de 26 anos, que prefere não ser identificado, disse ao G1 que ouviu um barulho forte que pode ter sido no momento que porta da casa da vítima foi arrombada.

“Quando olhei para rua vi caído na rua e um grupo de mais de quatro pessoas fugindo a pé. Não deu pra ver quem eles eram porque já estavam distantes”, contou.

O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico-Legal (IML). Oficialmente a vítima ainda não foi identificada. A vítima tem entre 20 e 25 anos, além de possuir 1,70 de altura. A travesti usava bermuda jeans e camisa azul quando foi encontrada morta.

O caso deverá ser investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Os vizinhos da vítima relataram ao G1 que após o assassinato uma tia da vítima esteve no local do crime e falou que a casa onde a vítima estava morando era alvo de disputa com um irmão. Um irmão da travesti teria vendido o imóvel sem permissão e o caso foi parar na justiça. A casa foi deixa como herança após morte do pai deles há quatro anos.

A suspeita da família é que o irmão teria mandado matar a travesti, que passou a morar na casa mesmo depois da venda. Essa será uma das linhas de investigação da polícia. Uma briga entre os irmãos com agressão física e motivada pela herança foi registrada na Polícia Civil em 2014.

Outra linha de investigação da polícia que será verificada é se o assassinato tem ligação com uma briga que ocorreu no final de 2016. Segundo a polícia, há um boletim de ocorrência em que a travesti é citada. Ela teria ameaçado um morador da mesma rua com gargalo de garrafa durante uma festa.

Comentários

comentários