Seap realiza palestra socioeducativa para pessoas que já foram autuadas em algum tipo de delito

0
60

Mais de 100 pessoas acompanhadas pela Central Integrada de Acompanhamento de Alternativas Penais do Amazonas (Ciapa) participaram de uma palestra educativa na última sexta-feira (23), realizada pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), através dos setores da Ciapa e Escola de Administração Penitenciária (Esap). O objetivo é estimular o interesse pela educação aliada a atividades alternativas de ressocialização.
O serviço é oferecido a pessoas autuadas em flagrante que foram apresentadas pelos Distritos Integrados de Polícia (DIP’s) em Audiências de Custódia, posteriormente encaminhadas a Ciapa para acompanhamento.

FOTOS: ANTÔNIO ASSIS / SEAP

A palestra realizada no auditório da Seap, contou com a presença do professor Arildo José, do Núcleo de Pesquisa e Extensão da Esap, que falou da importância da conclusão dos estudos. O incentivo oferece apoio social para as pessoas com medidas cautelares para que eles retornem aos estudos e evitem a reincidência de crimes.
A atividade também contou com a participação de dois psicólogos da Ciapa, Juliana Bertuccelli e Raimundo Nonato, que falaram sobre projetos educacionais e de capacitação oferecidos para as pessoas em alternativas penais. “Os índices de escolaridade são muitos baixos, sendo que a maioria não completou o ensino fundamental, e através disso eles são estimulados a continuarem os estudos”, contou Raimundo.
FOTOS: ANTÔNIO ASSIS / SEAP

Dados do sistema prisional – Através da assistência social, é possível instruir os infratores a terem acesso à formação escolar e profissional, como garante a Lei de Execução Penal (LEP). Segundo dados da Seap, em 2017, dos 181 detentos que estavam estudando nas unidades da capital, cerca de 65% passaram pela alfabetização, enquanto os outros 35% faziam os ensinos fundamental e médio.

Projetos de ressocialização – O Programa Nacional de Inclusão de Jovens (ProJovem) apresentou o projeto “Educando para a Liberdade”, que permite a inclusão social e o acesso ao mercado de trabalho à jovens de 18 a 29 anos. O projeto visa uma elevação dos índices de escolaridade, valorização pessoal, ressocialização e capacitação profissional. Além disso, uma bolsa auxílio-financeiro no valor de R$100 durante as atividades.

Fonte: Assessoria de Comunicação da SEAP

Comentários

comentários