Raiva humana: Jovem morre após ser mordido por morcego contaminado, no Amazonas

0
290

O Instituto Evandro Chagas (IEC), laboratório referência para doenças infeccionais no país, divulgou resultado positivo para Raiva Humana para o paciente de 17 anos que morreu no dia 16 de novembro, no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, em Manaus. A informação foi repassada pelo IEC para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS), e divulgada neste sábado (25) pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam).
A suspeita de Raiva Humana foi levantada por conta do histórico do paciente para mordida de morcego. De acordo com familiares, o adolescente havia sido atacado pelo animal na comunidade Tapira, no rio Unini, zona rural de Barcelos, onde residia.

A irmã do adolescente, uma criança de 10 anos, está internada na Fundação de Medicina Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) com sintomas semelhantes. A menina também passou por exames, mas ainda não se sabe o resultado.
De acordo com o boletim médico, a paciente de 10 anos segue internada em coma, hemodinamicamente instável e com quadro clínico considerado gravíssimo. Na quarta-feira (22), foi iniciada a aplicação do Protocolo de Milwaukee, indicado pelo Ministério da Saúde (MS), com uso dos medicamentos Biopterina e Amantadina. O tratamento é responsável pelos três únicos casos de cura de raiva humana registrados no mundo.
Outro paciente, de 44 anos, da mesma comunidade, está internado na FMT-AM. No entanto, exames já haviam descartado a suspeita de Raiva Humana. O homem segue internado, em observação e sem apresentar sintomas de encefalite viral.

Investigação
No domingo (19) e ao longo da semana, equipes de vigilância ambiental da FVS-AM com experiência na prevenção e controle de eventos que envolvem morcegos chegaram à comunidade para diagnóstico situacional na área e ações de prevenção e juntaram-se a profissionais da Secretaria Municipal de Saúde de Novo Airão, em apoio a Barcelos.
De acordo com a diretora-presidente da FVS-AM em exercício, Rosemary Costa Pinto, foi solicitado que fossem enviadas mais 500 doses de vacina para tratamento antirrábico humano para Barcelos e 250 doses para Novo Airão, além de 60 doses de soro antirrábico para Barcelos.


Técnicos da FVS-AM que encontram-se na comunidade iniciaram a coleta de espécimes de morcegos hematófagos, bem como a aplicação da pasta vampiricida, usada para o controle da população desses animais e busca ativa de outros casos suspeitos em humanos. Já foram coletados espécimes de quatro comunidades da Reserva Extrativista (Resex) do rio Unini.

Vacinação
A FVS esclarece que não existe vacina preventiva para Raiva Humana. A Semsa-Barcelos está aplicando sorovacinação profilática apenas nas pessoas com relatos de agressão por morcegos.
As ações de vacinação, humana ou animal, são municipalizadas, ou seja, a responsabilidade da execução é das 62 Secretarias Municipais de Saúde do Amazonas, que devem realizar anualmente as campanhas de imunização de cães e gatos em todas as comunidades de seu território e também os esquemas de sorovacinação de profilaxia da raiva humana em todas as pessoas agredidas por animais.

Morcegos
A equipe que retornou do município de Barcelos encaminhou três amostras de morcegos hematófagos coletados na comunidade de Tapira que serão encaminhadas para o Laboratório Central de Saúde Pública para análise.

Fonte: G1 Amazonas

Comentários

comentários