Justiça com as próprias mãos: Quando o suspeito passa ser a vítima. Entenda a história do homem que foi denunciado por estupro injustamente por uma adolescente de 12 anos que confessou a mentira

0
647

Ele é cozinheiro, tem 40 anos, segundo amigos e colegas, é uma boa pessoa e um trabalhador.
Era madrugada de quinta-feira (12/10), Francismar Videira acordava com policiais na sua porta após ter sido acusado por uma adolescente de 12 anos de ter lhe estuprado. Começa então um dos maiores pesadelos do cozinheiro e de sua família.
O tal estupro contado pela adolescente foi convincente. Ela disse que foi dominada por um homem enquanto ia para escola no bairro Aleixo, na Zona Centro-Sul de Manaus, pela manhã. Teria ainda ficado por mais de seis horas trancada no quarto de uma casa onde o suposto estupro acontecia. Após o crime, ainda na versão da garota, o cozinheiro teria lhe colocado em um carro e a deixando próximo de sua residência. Sem saber que casa era, a garota indicou aos policiais aquela casa era do Francismar e lá que teria sido praticado o suposto crime.

Drama vivido pelo cozinheiro deixará consequências / Foto: Divulgação

SOFRIMENTO DE FRANCISMAR E A DESCOBERTA DA MENTIRA CONTADA PELA ADOLESCENTE

Após passar quatros dias preso acusado pelo crime de estupro, o cozinheiro que passou momentos constrangedores, disse que vai processar o Estado. Mesmo com a família e testemunhas dizendo que ele não teria cometido o crime, que estava em outro local e mostrando até em vídeos que ele não estava com a menina, o esforço não foi suficiente para provar sua inocência. No mesmo dia que era preso, populares que acreditaram na versão da menina, depredaram o carro de Francismar.

Carro do cozinheiro depredado por populares / Foto: Divulgação

A farsa dessa terrível historia que deixará graves sequelas na vida do cozinheiro foi descoberta pelos pais da adolescente. Ela confessou para os pais que mentiu pra polícia. Conforme dito pela delegada Juliana Tuma, da Delegacia Especializada em Proteção a Criança e ao Adolescente (Depca), o estupro teria sido inventado para justificar aos pais da garota o motivo dela ter chegado tarde em casa. A delegada ainda contou que ela confessou que estava com o namorado de 15 anos e que não teria acontecido nenhum estupro.

Texto: Rafael Simões

Comentários

comentários