Cobrança via E-mail

0
286

Um e-mail apreendido pela Polícia Federal mostra que Papa Diack, filho do presidente da IAAF (Associação Internacional de Federações de Atletismo), Lamine Diack, cobrou Carlos Nuzman e Leonardo Gryner por valores não recebidos.

O documento consta no pedido de prisão de Nuzman, presidente do COB (Comitê Olímpico Brasileiro) e Gryner, presidente do Comitê Olímpio Rio 2016.

Eles são investigados por suposto pagamento de propina para a escolha da capital fluminense como sede das Olimpíadas de 2016.

E-mail é citado como prova da ligação suspeita entre Diack e dirigentes olímpicos brasileiros

O e-mail foi enviado enviado por Papa Diack em 11 de dezembro de 2009 a Maria Celeste de Lourdes Campos Pedroso, funcionária do COB, tem como destinatários em cópia Carlos Nuzman e Leonardo Gryner.

No texto, Papa Diack cobra Maria. “Meus banqueiros no Senegal ainda não recebera, qualquer transferência da sua parte. Eu tentei por diversas vezes falar com Leonardo Gryner, mas sem resposta. Você poderia checar com ele se ele pode confirmar que as transferências foram feitas para o meu endereço em Dakar ou em Moscou”.

Uma semana depois, Papa Diack envia outro e-mail a Maria.

“Aqui estão novamente minhas informações bancárias para a transferência de US$ 450.000 que eu estava esperando desde 12 de novembro de 2009, como parte do combinado com Leonardo Gryner”, escreveu.

Em outro e-mail, destinado diretamente a Carlos Nuzman, Diack cobra compromissos assumidos em Copenhague, onde ocorreu a escolha da sede das Olimpíadas de 2016. Ele também deseja ao executivo “muito sucesso” em nome da “família atlética”.

Fonte: R7

Comentários

comentários