‘Eu realmente gostava dele’, diz um dos envolvidos na morte de homem estrangulado

0
440

Dois jovens foram presos suspeitos de matar um técnico de informática de 39 anos no apartamento em que morava, no Conjunto Hiléia, Zona Centro-oeste de Manaus. O crime ocorreu no dia 1º de novembro deste ano. A vítima foi estrangulada. Com ela, foi encontrado um bilhete com a frase “estuprador é sal”. Um terceiro suspeito de participação no crime ainda está foragido.
Os suspeitos, Júlio César Ferreira e Silva, 22 e João Victor Andrade Ferreira da Silva, 19, foram apresentados na manhã desta terça-feira (22), em coletiva de imprensa realizada na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), na Zona Leste.
João Victor confessou o crime, mas negou que tivesse intenção de matar a vítima. Eles alegaram que queriam dinheiro para ir a uma rave. “Não queria matar o Vinícius. Peço perdão à família dele. Eu gostava dele. [O terceiro suspeito] que queria matar. Eu tinha dinheiro pra ir à rave. Os outros que não tinham”, afirmou o suspeito durante a coletiva. O outro suspeito, Júlio César, não quis comentar as acusações.

João ainda contou a dinâmica do crime. “No outro dia, a gente tava jogando bola no campo do Hileia, aí o Marcos disse que teve a ideia de colocar ‘estuprador é sal’. Aí eu disse que não tinha coragem de voltar lá. Eu gostava dele realmente. Não tinha intuito nenhum de fazer isso com ele. Foi quando ele voltou no local do crime, tirou a bermuda dele [da vítima] e colocou o bilhete no peito dele”, confessou.
De acordo com o delegado Juan Valério, titular da DEHS, os suspeitos deixaram o bilhete em cima do corpo da vítima para desviar o foco das investigações. “Os autores tentaram despistar a polícia, inclusive denegrindo a imagem da vítima, de uma forma cruel. Colocaram um cartaz nele dizendo que ele era estuprador. Conseguimos imagens de câmeras que auxiliaram as invesigações. No local do crime, não havia sinais de arrombamento, então, nós supeitamos que se tratava de pessoas conhecidas da vítima”, explicou.
Segundo a polícia, a vítima estava no apartamento com os suspeitos, quando teria sido dopada por eles. “Ficaram bebendo e jogando videogame por cerca de uma hora, até que a vítima foi até o banheiro e eles colocaram medicamentos na cerveja dele. Depois de uma hora, eles colocaram novamente o restante do medicamento da bebida e aí sim ele caiu em sono profundo e eles começaram a vasculhar a casa, porém o efeito do remédio passou e eles imobilizaram e enforcaram a vítima com um cinto e com cabos de computador”, contou o delegado.
Valério ressaltou que os dois infratores confessaram a participação no crime e que um terceiro homem é procurado pela participação no crime.
Prisões
O delegado informou que Júlio Cesar foi preso no último dia 10 de novembro, na casa onde morava, situada na Rua 14, na segunda etapa do Conjunto Hiléia, bairro Redenção.
Já João Victor foi preso no dia 12 de novembro deste ano, pelos policiais civis da DEHS, em uma parada de ônibus localizada no bairro Petrópolis, zona Sul.
A dupla será levada para o Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça. Eles vão responder pelo crime de latrocínio (roubo seguido de morte).

Fonte: G1 Amazonas

Comentários

comentários