Criminosos que mataram amazonense na Venezuela monitoraram comboio de turistas

0
161

Criminosos que participaram do assalto e assassinato ao amazonense Amaury Castro da Silva, de 47 anos, no último sábado (13), na Venezuela, monitoraram o comboio de carros com turistas brasileiros que seguia pelo país. A informação foi confirmada pelo líder da excursão, o empresário Rainey da Silva, em entrevista a uma filial da TV A Crítica. Ontem (18), cinco deles foram detidos pelo governo venezuelano.

Segundo o líder da excursão, os bandidos avistaram quando o conjunto de carros saiu durante a noite do município de Upata com destino a Porto Ordaz e, depois, os seguiram. De acordo com Rainey da Silva, ele chegou a avisar aos outros motoristas do comboio, através de um rádio portátil, sobre a presença dos criminosos e da iminente emboscada. O grupo acelerou para fugir do local, mas Amaury foi fechado por dois carros e não teve como escapar. Ele era o quarto veículo do comboio de oito.

“Eu vi um carro branco passando por mim. Neste exato momento, em uma distância de 300 a 400 metros, vi outro veículo parado com o pisca-alerta ligado no meio da rua. Estava tudo escuro. O carro branco já foi emparelhando. O outro se juntou, e começaram a ir funilando, funilando, até que percebi que era uma emboscada”, lembrou o empresário.

Rainey conta que viu outros três homens saindo do mato armados e tomou a decisão de fugir da emboscada. “Os criminosos me fizeram reduzir. Fiquei há quase 30 metros de distância deles e neste exato momento eu só vi outros três meliantes saindo do mato armados. Foi quando tomei a decisão de colocar o carro no meio deles. O veículo branco ainda tentou me fechar. Mas fui logo avisando na rádio para o meu grupo que era um assalto. Os outros tomaram a decisão igual a mim”, relatou.

O empresário acredita que no máximo dez criminosos participaram do crime, na Venezuela. “Eu acredito que seria um total de sete a dez pessoas prontas para fazer toda a emboscada desse grupo, porque só dois carros e aqueles três elementos iam demorar muito para revistar todo mundo que estava no comboio”, ressaltou.

O engenheiro de manutenção elétrica, Sandro da Silva, que vinha atrás de Amaury no comboio, lembra que viveu momentos de terror com a família. “Eu vi os momentos dos disparos. Foram dois tiros. Meu filho e a filha do Rainey que estava dentro do meu carro entraram em desespero. Começaram a gritar. Para mim, tinha acertado um deles, porque o tiro foi bem audível. A gente começou a correr atrás de socorro”, relembrou.

O grupo de turistas trouxe o carro de Amaury para o Brasil. Eles pretendem trazer o veículo até a família do amazonense. O comboio voltou pela Guarda Nacional até a Santa Helena de Uairén, cidade próxima à fronteira com o município de Pacaraima, em Roraimba.

Nos braços do filho

Durante velório do amazonense Amaury Costa em Manaus, na terça-feira (16), um familiar dele, Douglas da Costa, também contou à reportagem do Portal A Crítica detalhes de como tudo aconteceu. “Os bandidos logo deram um tiro no Amaury e depois pediram os pertences pessoais e dinheiro. Quando eles foram embora, minha sobrinha foi para o volante e dirigiu por 30 quilômetros. O meu sobrinho disse que durante o trajeto percebeu que o pai tinha dado o último suspiro, mas não queria preocupar a mãe. Ele acabou falando para a irmã em inglês que o pai tinha morrido”, relatou.

Depois, eles seguiram até um posto policial e, em seguida, a um hospital, onde foi comprovado o óbito de Amaury. “A minha sobrinha conseguiu dirigir até um posto policial e pediu ajuda, mas eles comprovaram que o Amaury tinha morrido”, comentou.

Suspeitos detidos

Cinco suspeitos de terem assaltado e matado amazonense Amaury foram detidos nessa terça-feira (16). Entre eles está um adolescente de 16 anos. Os envolvidos foram detidos num povoado entre as cidades de Upata e San Félix, próximo de onde ocorreu o crime. Na imprensa local, dois suspeitos foram identificados como Ovier Campos, de 28 anos, e Yasmina Suarez. Outras duas pessoas ainda não foram identificadas.

Fonte: Acrítica

Comentários

comentários