Bolsonaro é recebido por multidão em Manaus

0
695

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) afirmou na manhã desta quinta-feira (14), durante um “comício” realizado no estacionamento do Aeroporto Internacional de Eduardo Gomes, que a Amazônia precisa ser cuidada. O político chegou à capital manauara por volta das 11h para uma série de compromissos no Estado do Amazonas.
Cercado por centenas de pessoas e sobre um carro de som, o político discursou durante 15 minutos. Mesmo negando que estivesse fazendo campanha para a Presidência da República nas eleições de 2018, ele afirmou que o Brasil precisa de transformação.
“Estamos com o Brasil, mas a Amazônia está com o nosso coração. O que nós temos na Região Norte ninguém no mundo tem. A Amazônia pode ser a solução do mundo e não pode ser problema para o Brasil. Precisamos de um presidente honesto, que tenha Deus no coração e seja patriota”, afirmou o deputado.
Bolsonaro discursou acompanhado de uma bandeira do Estado do Amazonas. “Com o patriotismo tiramos o Brasil dessa situação. Somos só um povo, uma só gente, uma só bandeira. A esquerda tentou nos dividir, mas uniremos o Brasil do futuro”, destacou.

(Foto: Euzivaldo Queiroz)

Em certo momento, o deputado pediu que a bandeira de Israel fosse levada até ele no carro de som. “Olhem essa bandeira azul e branca. Olhe o que tenho para mostrar. Estive em Israel e eles não têm nada, apenas areia, mas são uma potencial mundial. Vamos fazer parceria com eles (Israel). Não vai ter parceria com Venezuela ou Cuba. O dinheiro é nosso e vamos fazer parceria com países democráticos”, afirmou.
O deputado também falou sobre assuntos polêmicos, como armamento para civis, “ideologia de gênero” nas escolas e ensino militar. “O Brasil tem potencial para ser grande. Parte da imprensa brasileira me chama de tudo, menos de corrupto. Vamos combater a corrupção com radicalismo. Vamos oferecer um meio que o nosso povo viva em paz”, completou.
O deputado federal também agradeceu a recepção calorosa na cidade. “Para um político não existe melhor recompensa do que essa. Ser bem recebido em uma local. Não tenho obsessão por poder. Se acontecer, será um missão de Deus. A cruz é pesada sim, mas Ele não dar um peso maior que podemos suportar. A Região Amazônica precisa ser um Polo Turístico, isso renderá mais recuso que o próprio Polo Industrial de Manaus”, disse.

Fonte: Acrítica

Comentários

comentários