Atirador do Colégio: Um pai que perdoa o algoz de seu filho através da palavra cristã

0
898

O que faz alguém perdoar um assassino? Você perdoaria?
Não há pecado tão grande que Deus não possa perdoar. Quando Jesus morreu na cruz, ele morreu para pagar a pena por todos os pecados de todos nós. (1 João 2:2).
Era sexta-feira, 20 de outubro, fim de uma manhã na cidade de Goiânia(GO). A cidade que até então era conhecida pelos festivais sertanejo, ganha destaque nacional após a notícia de que um adolescente de 14 anos descarregava vários tiros contra colegas dentro da escola. Geralmente estamos acostumados a saber desses fatos como algo “exclusivo” de um país norte americano, dos Estados Unidos. Infelizmente, acontecia dentro do nosso país.
A tragédia começava. O estudante então, acertava a primeira vítima com um tiro na cabeça, João Pedro Calembo, de 13 anos. João Pedro morreu na hora, e sem intervalo de tempo, o atirador dispara novamente contra outros colegas que ficam gravemente feridos enquanto os que conseguiram fugir iriam para fora do colégio pedir socorro.

João Pedro, estudioso, amigo e um dos filhos mais velhos da família / Foto: Arquivo Pessoal

O atirador e as vítimas estudavam na mesma sala. Segundo os colegas que sobreviveram, eles falaram que o garoto sofria bullying por parte dos colegas. “Ele sofria bullying, o pessoal chamava ele de fedorento, pois não usa desodorante. No intervalo da aula, ele sacou a arma da mochila e começou a atirar. Ele não escolheu alvo. Aí todo mundo saiu correndo”, contou um dos colegas para um jornalista.

Jornais e sites noticiando os acontecimentos deste terrível crime. Colegas e pais choravam atordoados querendo uma explicação. Era inimaginável que um estudante com comportamento excelente e um bom rendimento escolar poderia fazer isso e ainda contra seus próprios colegas, um especial o pequeno João que conforme dito por colegas, eles eram amigos e andavam juntos com frequência no ambiente escolar.
Durante o enterro de uma das vítimas, o de João Pedro Calembos, o seu pai era abordado pelos jornalistas e que muito emocionado desabafava: “Meu filho era uma criança muito doce, muito especial. Nossa família é cristã, e ele sempre foi educado e pautado no respeito ao próximo. Os preceitos familiares estão perdidos na nossa sociedade, a gente tem que reforçar esses valores, e meu filho tinha tudo muito claro. Tudo isso poderia ser evitado”.
Por fim, surpreendendo todos, o pai com muita firmeza e ainda abalado diz: “Falo como pai do João Pedro, de uma criança que perdeu a vida. Eu espero que toda a sociedade e os pais dele e os outros pais o perdoem. Temos que perdoá-lo”. O pedido já é a resposta para o arrependimento do atirador, o perdão de um pai para o assassino do seu filho.

Pai de João diz que perdoa o assassino do filho e pede que todos façam o mesmo / Foto: Divulgação

Em tempos de guerra, de intolerância e perseguição, um pai que perde o filho manifesta o maior ato que um cristão pode ter contra seus inimigos: o Perdão.
Que a mensagem deste pai possa nos trazer uma reflexão como seres humanos, levando o perdão e a compaixão, com esperança e bondade no coração sem perder o senso de justiça.

Mãe de João publica foto pedindo respeito / Foto: Rede Social

Texto: Rafael Simões

Comentários

comentários