Agente de trânsito atropelado tem parte do pé amputado e segue em estado grave

0
135
Foto: Divulgação

O quadro clínico do agente de trânsito Everaldo Praia, 51, do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), atropelado no dia 17 deste mês por um adolescente de 17 anos, que dirigia a BMW do pai, se agravou e ele teve parte do pé esquerdo amputado nesta sexta-feira (6).

Na semana passada, ele estava com paralisação nos rins e trombose nas pernas. No acidente, ele sofreu uma parada cardíaca e teve fraturas na bacia, perna e braço. A amputação foi confirmada pelo Manaustrans nesta sexta-feira (6), que acompanha o quadro do agente, dando suporte social e jurídico ao paciente e à sua família.

De acordo com a assessoria do Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, onde Everaldo estava internado desde o acidente, ele foi transferido da unidade de saúde para um hospital particular na quarta-feira (4). O paciente continua em coma, faz hemodiálise duas vezes por dia e respira com a ajuda de aparelhos.

Um adolescente de 17 anos confirmou ter atropelado o agente durante uma ultrapassagem na avenida Pedro Teixeira, no bairro Dom Pedro, zona Centro-Oeste. Ele dirigia a BMW branca do pai, placas, quando bateu na motocicleta conduzida pelo agente do Manaustrans, que estava de serviço. O motorista não prestou socorro.

O proprietário do veículo, Wagner Luiz de Almeida, está viajando desde a data do acidente, é pai do jovem e executivo e piloto da Azul Linhas Aéreas.

Segundo o delegado Paulo Benelli, titular do 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), as investigações do caso foram concluídas e as provas colhidas apontaram o adolescente como o autor do atropelamento. Se fosse adulto, o jovem poderia ser indiciado pelo crime de tentativa de homicídio doloso eventual, que é quando se assume o risco de produzir o acidente.

Todo o processo de investigação para a Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai), e a unidade vai finalizar e encaminhar o caso à Justiça.

O acidente

Segundo a polícia, o condutor do BMW trafegava em alta velocidade quando invadiu a contramão e atingiu a motocicleta e o agente de trânsito. Câmeras de segurança instaladas nas redondezas captaram o momento exato em que o carro bateu a moto. Ainda conforme testemunhas, o condutor dirigia em alta velocidade, realizando manobras arriscadas, quando o acidente aconteceu.

A direção da Manaustrans formalizou Boletim de Ocorrência (BO) na unidade policial, onde foi instaurado inquérito policial para apurar os crimes de lesão corporal na direção de veículo automotor, evasão do local do acidente, omissão de socorro no trânsito e direção perigosa, previstos nos Artigos 303, 305, 304 e 309, respectivamente, do Código de Trânsito Brasileiro

Fonte: Portal do Marcos Santos

Comentários

comentários